Saltar para o corpo principal da página

Cruzaltense realiza a Conferência Municipal de Saúde.

Data: 15/03/2019

 

Atendendo as diretrizes do Conselho Nacional de Saúde o governo de Cruzaltense reuniu nesta quinta- feira, 14, usuários, prestadores de serviços, integrantes do governo, do Conselho Municipal de Saúde e da Administração Municipal para deliberar sobre o Plano Municipal de Saúde e as propostas que serão encaminhadas para a Conferência Estadual.

A Conferência foi aberta pelo presidente do Conselho Municipal de Saúde, Gilberto Bampi. O secretário de Saúde, Lenito Santolin  destacou a importância da participação popular na elaboração das diretrizes para a saúde. “Ninguém melhor do que quem usa o sistema público de saúde para opinar sobre os serviços que precisam ser prestados e o funcionamento do sistema”, disse. O prefeito de Cruzaltense, Kely José Longo, relatou as dificuldades do setor. “Há quatro meses não recebemos a totalidade de recursos que deveriam ser repassados pelo governo federal e estadual. O município está praticamente arcando sozinho com o financiamento da saúde, temos dificuldades, mas a presença das pessoas na conferência é um indicativo de que a saúde é uma preocupação de toda a comunidade”, destacou.

A coordenadora do  Núcleo Regional de Educação em saúde Coletiva e da Comissão de Integração Ensino-Serviço da Região da 11ª Coordenadoria Regional de Saúde, Eliana Sandri Lira, participou do encontro e levou informações sobre a implantação do SUS.  A Conferência Nacional de Saúde que vai ser realizada em Outubro, em Brasília, marca os 33 anos de criação do SUS. A 8ª conferência, realizada em 1986 foi a primeira que permitiu a participação popular. “ Foram 4 mil pessoas ajudando a construir as políticas de saúde. A partir desta conferência foi sendo construída a inclusão do SUS na Constituição de 1988”, disse. Eliana também destacou as diferenças entre a época antes e depois da implementação do SUS. “ Até 1988 o atendimento médico era prestado só para quem tinha carteira assinada ou um Plano de Saúde e este município contava apenas com um posto para controle de endemias e vacinação. Hoje uma equipe de 40 pessoas atende todos os moradores. Por isso as conferências são importantes para discutir o acesso e a continuidade do SUS”, relatou.

A partir do documento base, os participantes  foram divididos em quatro grupos para discutir eixos temáticos como: saúde como direito, consolidação do SUS e financiamento do SUS. As propostas foram expostas e resultaram no documento municipal que irá  contribuir para formulação das políticas de saúde, ao mesmo tempo em que as propostas de cunho nacional serão levadas para deliberação na etapa nacional da 16ª CNS. Foram eleitos delegados representando os usuários, os trabalhadores em saúde e o poder público para participar da Conferência Estadual de Saúde.

Arrow_Owl
Gallery big c1f2ca9becc8248ecbb87034e3bfd3f5
Conferencia Municipal de Saude 5.JPG